quinta-feira, 22/02/2024
HomeDestaquePrefeito de cidade de MS reduz em 20% seu salário, do vice...

Prefeito de cidade de MS reduz em 20% seu salário, do vice e de secretários municipais

Data:

Rudi Paetzold, de Coronel Sapucaia, já havia cortado gratificações de comissionados, proibido a criação de novos cargos e o pagamento de horas extras. Medidas visam equilibrar as contas do município.

prefeito-rudi

O prefeito de Coronel Sapucaia, Rudi Paetzold (PMDB) reduziu em 20% o seu próprio salário, o do vice-prefeito e dos oito secretários municipais. O decreto determinando o corte temporário, pelo período de 90 dias, foi publicado no Diário Oficial dos municípios de Mato Grosso do Sul nesta quinta-feira (22) e tem efeito retroativo, valendo desde o dia 1º de junho.

No início do mês, o prefeito também já havia reduzido provisoriamente, pelo mesmo período, em 10% as gratificações dos outros servidores comissionados do município. Também proibiu a criação de novos cargos e a concessão e pagamento de horas extras para todos o funcionalismo, exceto em casos excepcionais e após ele próprio autorizar.

Segundo a prefeitura, os cortes ocorreram para tentar equilibrar as contas e manter a folha de pagamento dentro dos padrões exigidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), já que com a crise no país houve queda de arrecadação.

De acordo com a prefeitura, no primeiro quadrimestre do ano, o município sofreu com uma retração de 16,28% no valor recebido do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e de 24,17% na do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), além amargar também uma redução no Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

A remuneração do primeiro escalão do município para a gestão de Paetzold (2017-2020) haviam sido estipulados em julho de 2016, por meio de projeto de lei da Câmara Municipal. Na época o salário do prefeito foi fixado em R$ 19.500,00, que com a redução temporária de 20% cai para R$ 15.600,00. Já o do vice-prefeito era R$ 9.090,00 e passa para R$ 7.272,00 e o dos secretários encolhe de R$ 6.420,00 para R$ 5.136,00.

O município, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tem uma população estimada em 14,9 mil habitantes. A economia do município, conforme os dados mais recentes relativos ao Produto Interno Bruto (PIB), depende principalmente do setor de comércio e serviços (68,80% do PIB) e da agropecuária (25,67% do PIB).

Fonte: G1/MS Foto: Arquivo Assecom

spot_img
spot_img