Na sexta-feira, a moeda norte-americana fechou em queda de 0,71%, vendida a R$ 5,5843.

O dólar opera em alta nesta segunda-feira (19), com incertezas fiscais domésticas compensando a fraqueza internacional da divisa norte-americana em meio a esperanças de uma recuperação econômica global.

Às 10h54, a moeda norte-americana subia 0,20%, vendida a R$ 5,5923.

Na sexta-feira, o dólar fechou em queda de 0,74%, vendido a R$ 5,5843. Na semana passada, o recuo acumulado foi de 1,59%. No mês, há queda de 0,77%. No ano, o avanço é de 7,66%.

O Banco Central anunciou para este pregão leilão de swap tradicional para rolagem de até 15 mil contratos com vencimento em novembro de 2021 e abril de 2022.

Cenário

O Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) do Banco Central, considerado uma “prévia” do Produto Interno Bruto (PIB), teve alta de 1,7% em fevereiro na comparação com janeiro. Já em relação a fevereiro de 2020, o indicador registrou expansão de 0,98%,. No acumulado dos 12 meses até fevereiro de 2021, porém, houve queda de 4,02% – sem ajuste sazonal.

Já o mercado financeiro aumentou a estimativa de inflação para 2021 e também passou a projetar uma alta menor do Produto Interno Bruto (PIB). Para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, a expectativa do mercado para este ano subiu de 4,85% para 4,92%. Foi a segunda alta seguida do indicador. No caso do PIB, os economistas reduziram a estimativa para o crescimento de 3,08% para 3,04%. Foi a sétima queda seguida do indicador.

A projeção para a taxa de câmbio no fim de 2021 subiu de R$ 5,37 para R$ 5,40. Para o fim de 2022, avançou de R$ 5,25 para R$ 5,26 por dólar.

O novo presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, faz nesta segunda-feira pronunciamento aos funcionários da companhia na cerimônia de posse, que terá transmissão on-line. Luna e Silva foi confirmado no cargo na semana passada pelo novo conselho, que tomou posse na semana passada.

Além disso, as atenções seguem voltadas para a CPI da Pandemia e para o impasse em torno do Orçamento de 2021, com o mercado recebendo diariamente informações sobre novas propostas discutidas no governo para resolver o imbróglio – que até aqui têm desagradado investidores.

Variação do dólar em 2021 — Foto: G1

FONTE: G1