O Museu da Imagem e do Som (MIS), unidade da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, apoia a realização do 4º Ciclo de Cinema Latino-Americano, com curadoria de Miguel Ariza Benavides, mestre em Estudos de Linguagens pela UFMS. Os filmes serão exibidos nos dias 2 e 3 de julho, sempre às 19 horas, no MIS, com entrada franca.

O Ciclo de Cinema Latino-Americano surgiu em 2018 com objetivo de fazer chegar ao publico do Estado um pouco da cinematografia da América Latina, principalmente dos países vizinhos, e por meio das obras promover o debate sobre os mais variados temas, entre eles o próprio aspecto da produção e do acesso. A primeira edição foi dedicada à diretora argentina Lucrécia Martel; no segundo ciclo foram apresentados filmes com o tema “Fronteira”, na terceira edição o Ciclo trouxe como tema principal “Mulheres”, e nesta quarta edição, foram escolhidos representantes do Chile e Paraguai.

“A cinematografia da América Latina é indiscutivelmente rica, e com os filmes podemos conhecer um pouco mais sobre os nossos vizinhos, suas histórias, memórias e realidades. Promover este Ciclo é para o MIS a possibilidade de aplicar o processo de formação e acesso ao público, porque os filmes exibidos aqui dificilmente chegam às salas comerciais do Estado”, afirma a coordenadora do MIS, Marinete Pinheiro. 

Para o curador, Miguel Benavides, o MIS como entidade pública do Estado é um lugar onde as exibições chegam ao público de forma democrática. “É aberto ao público, é de graça, não tem discriminação social”.

Confira abaixo a programação:

Dia 2 – terça-feira, às 19 horas

Tony Manero. Direção: Pablo Larraín. Duração: 97 minutos. Classificação: 16 anos

Sinopse: Santiago, Chile, 1978. Raúl Peralta (Alfredo Castro) é fascinado pelo personagem Tony Manero, interpretado por John Travolta no filme “Os Embalos de Sábado à Noite”. Decidido a vencer um concurso televisivo de imitadores, ele passa o dia treinando. Só que sua obsessão o leva também a revelar seu lado psicopata. Esta comédia dramática foi a representante do Chile ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 2009.

Dia 3 – quarta-feira, às 19 horas

Las herederas. Direção: Marcelo Marinessi. Duração: 98 minutos. Classificação: 12 anos

Sinopse: Chela (Ana Brun) e Chiquita (Margarita Irún), herdeiras de famílias abastadas do Paraguai, vivem da venda de seus bens. Quando Chiquita acaba presa por dívidas jamais acertadas, a até então submissa e reclusa Chela precisa se virar e começa por acaso a prestar serviço para um grupo de senhoras ricas como motorista. Logo a nova realidade, e especialmente a exuberante Angy (Ana Ivanova), a quem conhece durante o trabalho, afetam os interesses, prioridades e atitudes da taxista amadora. O drama foi selecionado para disputar o Urso de Ouro, o prêmio principal do Festival de Berlim 2018. Este é o primeiro longa-metragem do diretor paraguaio Marcelo Martinessi.

Karina Lima – Fundação de Cultura MS – (FCMS)

Fotos: Imagens dos filmes